terça-feira, 13 de setembro de 2016

A GUERRA DO PARAGUAI (1864-1870)




Há 152 anos terminava o mais sangrento conflito armado da história da América Latina, a Guerra do Paraguai mobilizou centenas de milhares de brasileiros, paraguaios, argentinos e uruguaios. Este episódio, ainda pouquíssimo trabalhado nos livros de História, decorreu numa drástica mudança no cenário econômico da chamada Região Platina.

A Guerra do Paraguai é considerada o MAIS GRAVE CONFLITO NA AMÉRICA DO SUL.


CAUSAS:

  • Disputa pelo controle dos rios Paraná,Paraguai, Uruguai e o Rio da Prata .
          Esses rios serviam para circulação de mercadorias na América do Sul e Europa
          No Brasil os rios serviam para fazer comércio com o Mato Grosso, pois as estradas eram            péssimas.

  • Disputa por terras férteis e de pastagens ( fazendeiros de países vizinhos desrespeitavam as fronteiras do outro )
  • Disputa pela liderança da região platina
         - D. Pedro II, sempre intervinha nos países platinos a favor de seus                     interesses.

           1- retirou o presidente do Uruguai do poder (Manuel Oribe - 1851)
           2- retirou o presidente argentino Manoel Rosas (1852)
           3- retirou o presidente do Uruguai Anastácio Aguirre (1864-1865)


QUAIS OS INTERESSES DOS PAÍSES ENVOLVIDOS NA GUERRA?
  • Brasil: queria continuar mandando na região e usar os da bacia platina
  • Argentina: queria evitar a saída de duas de suas províncias do país ( Entre Rios e Corrientes), que queriam ficar independentes com o apoio do Paraguai
  • Paraguai: na época governado por Solano Lopez, desejava uma saída para o mar para comerciar com mais facilidade. 
  • Visando a província de Mato Grosso, o ditador paraguaio aproveitou-se da fraca defesa brasileira naquela região para invadi-la e conquistá-la. 
  • Fez isso sem grandes dificuldades e, após esta batalha, sentiu-se motivado a dar continuidade à expansão do Paraguai através do território que pertencia ao Brasil. 
  • Seu próximo alvo foi o Rio Grande do Sul, mas, para atingi-lo, necessitava passar pela Argentina. 
  • Então, invadiu e tomou Corrientes, província Argentina que, naquela época, era governada por Mitre.
Bartolomé Mitre Martinez foi um político, 
escritor e militar argentino, foi presidente 
da Argentina de 1862 a 1868.


O GOVERNO DE SOLANO LOPEZ (presidente do Paraguai)

    Solano Lopez -
    presidente do Paraguai (1862-1870)


  • As mercadorias do Paraguai deviam circular pelos rios: Paraguai, Paraná e Prata.
  • Rio Paraná- fronteira com o Brasil
  • Rio da Prata - controlado pela Argentina
  • Solano Lopez - aliou-se ao Uruguai e aos rebeldes argentinos, para formar um novo país com porto marítimo em Montevidéu ( não deu certo)
  • 1864- Brasil invade o Uruguai - o presidente do Uruguai, Anastácio Cruz Aguirre foi derrotado pelo exército brasileiro.

Aguirre,
presidente do Uruguai














A GUERRA COMEÇOU

Tríplice Aliança: Brasil, Argentina e Uruguai

  • Um navio brasileiro é aprisionado e o Mato Grosso é invadido pelo Paraguai
  • Paraguai X Argentina (motivo: Argentina não permitiu Paraguai atravessar por suas terras)
  • Maio de 1865 - TRÍPLICE ALIANÇA ( Brasil, Argentina e Uruguai ) contra o Paraguai.




AS CONSEQUÊNCIAS DA GUERRA DO PARAGUAI

  Cada país envolvido teve um resultado diferente

O Paraguai 
  • perdeu parte das indústrias,
  • perdeu 140 mil km quadrados de território 
  • perdeu mais de  200 mil pessoas 
  • 23.917  pessoas mortas ( algumas pesquisas dizem que foram mais de 100 mil mortos)

Brasil

Oficiais brasileiros posando com suas armas e
equipamento no estúdio improvisado de um fotógrafo
 bem próximo ao teatro de operações, c.1867
  • incorporou vastos territórios
  • garantiu ligação fluvial com sul do Mato Grosso
  • manteve a liderança na região platina
  • a dívida externa cresceu  (empréstimos com a Inglaterra)
  • aumentou a emissão de moedas (inflação atinge a camada mais pobre)
  • gastos de 640 mil contos de réis (11 vezes o orçamento do Brasil em 1864)
CURIOSIDADES!  

1- O Brasil, que sustentou praticamente sozinho a guerra, pagou um preço alto pela vitória. Durante os cinco anos de lutas, as despesas do Império chegaram ao dobro de sua receita, provocando uma crise financeira. A escravidão passou a ser questionada, pois os escravos que lutaram pelo Brasil permaneceram escravos.

2- O Exército Brasileiro passou a ser uma força nova e expressiva dentro da vida nacional. Transformara-se numa instituição forte que, com a guerra, acabou ganhando tradição e força interna e representaria um papel significativo no desenvolvimento posterior da história do país.

3- O mercado paraguaio abriu-se para os produtos ingleses e o país viu-se forçado a contrair seu primeiro empréstimo no exterior: um milhão de libras da Inglaterra, que se pode considerar a potência mais beneficiada por esta guerra.


Luís Alves de Lima e Silva, Duque de Caxias. 
Patrono do Exército Brasileiro



 OS NEGROS NA GUERRA DO PARAGUAI


Caricatura da época da Guerra do Paraguai feita por paraguaios que chamavam o exército brasileiro de MACACUDOS. Isso por conta dos escravizados formarem grande parte do batalhão de soldados brasileiro. A questão é que no Paraguai também havia africanos escravizados, pois a abolição não havia acontecido ainda. O que existia era a Lei do Ventre Livre.


  • O Brasil utilizou a população negra na guerra 
  • Os escravizados eram alforriados ao ingressar no exército brasileiro
  • Os senhores de escravos recebiam indenização pela alforria de seus escravos
  • Estima-se em 20 mil o número de escravizados que teriam conseguido liberdade na guerra (segundo Robert Conrad)
  • A participação da população negra foi decisiva



Oficiais brasileiro na Guerra do Paraguai

Oficiais brasileiros nos momentos finais da Guerra do Paraguai, entre eles está o Conde d´Eu (com a mão na cintura), 1870
  • Dos cerca de 160 mil brasileiros que combateram na guerra, as melhores estimativas apontam cerca de 50 mil óbitos e outros mil inválidos. Outros ainda estimam que o número total de combatentes pode ter chegado a 400 mil, com 60 mil mortos em combate ou por doenças

Artilharia uruguaia na Batalha do Boqueirão, e ao fundo tropas da tríplice aliança indo para o combate,1866.
Mortos na Guerra do Paraguai 
  • O Paraguai sofreu grande redução em sua população. A guerra acentuou um desequilíbrio entre a quantidade de homens. Algumas fontes citam que 75% da população teria perecido ao final da Guerra. Estimativas atuais, contudo, fixam o percentual de perdas de vidas entre 15% e 20% da população.
  • As altas taxas de mortalidade na guerra não foram decorrentes somente por conta dos encontros armados. Entre os brasileiros, pelo menos metade das mortes tiveram como causa doenças típicas de situações de guerra do século XIX. A principal causa mortis durante a guerra parece ter sido o cólera.


Procissão de N. S. da Conceição em 30 de maio de 1868 no acampamento brasileiro no Tayi. S/a. A religiosidade presente em campo de batalha.


Antes da queda de Humaitá, crianças combatiam no exército paraguaio. Este foi incorporado para prestar serviços ao oficial da foto. 



Mulheres e crianças paraguaias recebem cuidados médicos



o Imperador em Porto Alegre – de volta de Uruguaiana, por Luiz Terragno.  


Modelo dos fardamentos dos Voluntários da Pátria (soldados brasileiros)

 VEJA QUE LEGAL ESSE RESUMO SOBRE A GUERRA DO PARAGUAI






O PARAGUAI ATUAL




E PARA QUEM GOSTA DE GAMES, AQUI ESTÁ UMA DICA DE UM JOGO MUITO LEGAL SOBRE A GUERRA DO PARAGUAI. DIVIRTA-SE!!

CLIQUE AQUI E DIVIRTA-SE!





Nenhum comentário:

Postar um comentário