terça-feira, 16 de agosto de 2016

O PERÍODO REGENCIAL NO BRASIL - 1831-1840

O Período Regencial

  • foi relativamente curto; 
  • porém um dos mais agitados de nossa história.

Naquela época, ocorreram intensas disputas entre:

  • o centro (governo central sediado no RJ)
  • as províncias
  • e revoltas sociais armadas ( de norte a sul do país)
  • isso tudo ameaçou a unidade nacional
  • foram momentos decisivos para a formação do Estado Brasileiro
História política

D. Pedro I renunciou 


"Usando do direito que a Constituição me concede, declaro que hei muito voluntariamente abdicado na pessoa de meu muito amado e prezado filho o Senhor D. Pedro de Alcântara.
Boa Vista, 7 de abril de mil oitocentos e trinta e um, décimo da Independência e do Império."
Pedro





REGÊNCIA TRINA PROVISÓRIA


  • O governo deveria ser ocupado por três regentes escolhidos por uma Assembleia Geral (deputados e senadores), de acordo com a Constituição de 1824
  • a maior parte dos deputados e senadores estavam em recesso
  • os poucos deputados e senadores que estavam no RJ , elegeram três regentes PROVISÓRIOS, que governaram por pouco mais de 2 anos.



REGÊNCIA TRINA PERMANENTE




ENQUANTO ISSO...


Pedro de Alcântara e suas irmãs, D. Francisca e D. Januária, quando ele ainda era adolescente.
Tela de Félix Émilie Taunay (1795-1881)




POR NÃO CONFIAR NA CAPACIDADE DO EXÉRCITO DE MANTER A ORDEM, O GOVERNO REGENCIAL CRIOU A GUARDA NACIONAL (1831)
  • Só podiam participar brasileiros
  •  com idade entre 21 e 60 anos
  • renda anual mínima de 100 mil réis
  • os fazendeiros ricos recebiam a patente de coronel
  • os fazendeiros-coronéis tinham grande poder na região onde moravam


ATO ADICIONAL DE 1834

  • Criado para conter as revoltas regenciais
  • Dava autonomia as províncias para criarem algumas leis
  • Extinguiu o Conselho de Estado (criado por D. Pedro I)
  • Substituiu a Regência Trina por Una
  • Criou o voto secreto e direto nas eleições dos regentes
  • As Assembleias Provinciais passaram a decidir sobre os impostos arrecadados pelas províncias

REGÊNCIA UNA DE FEIJÓ


  • D. Pedro I morreu em 1834
  • Restauradores se dissolveu
  • Exaltados derrotados por Moderadores
  • Moderados se dividiram: Progressistas ( a favor do Ato Adicional) X Regressistas (contra o Atos Adicional)
  • Primeiras eleições no Brasil para chefe de governo
  • Padre Feijó venceu ( Progressista)
  • Enfrentou duas rebeliões:CABANAGEM (NORDESTE) E FARROUPILHA ( SUL)
  • Feijó precisava de recursos para enfrentar as revoltas
  • A câmara dos deputados ( REGRESSISTA)  era oposição a Feijó
  • Feijó RENUNCIOU em 1837

REGÊNCIA DE ARAÚJO LIMA 


  • Regressista
  • Eleito regente
  • Queria combater as rebeliões provinciais
  • 1840- aprovou a Lei Interpretativa do Ato Adicional. (retirando a autonomia das províncias)
  • governo repressivo
REBELIÕES REGENCIAIS (ATIVIDADE PARA NOTA)

  • CABANAGEM (1 ao 5)
  • FARROUPILHA (6 ao 13)
  • REVOLTA DOS MALÊS  (14 ao 20)
  • SABINADA  (21 ao 25)
  • BALAIADA (26 ao ...) 

ENTREGA : 24/08/2016 
OBS.: Um trabalho escrito para cada equipe (capa, sumários,introdução, desenvolvimento, conclusão,bibliografia) . Cada membro da equipe responderá uma pergunta sorteada sobre o tema no dia 24/08/16



A NOTA DE TRABALHO SERÁ: 
TRABALHO ESCRITO + RESPOSTA CORRETA A PERGUNTA SORTEADA

Nenhum comentário:

Postar um comentário