quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

EDUCAÇÃO: DO TRADICIONAL A INOVAÇÃO




Por Isabel Aguiar

Tecnologia é tudo que facilita nossa vida. Como incorporar as novas tecnologias no dia-a-dia da sala de aula? Qual o projeto de educação de sua escola?  Que tipo de sociedade queremos? 

A partir desses questionamentos as mudanças devem se processar. Que horror seria se estivéssemos fadados a caminhar pelo século XXI  com uma escola do século XIX . Felizmente existem há algum tempo pesquisas em torno desse tema e práticas que promovem mudanças, mesmo que lentas.

Globalização e educação estão conectadas. As tecnologias são importantes como apoio. A educação de qualidade pode até ser feita sem tecnologias, mas no mundo conectado em rede, ficaria muito estranho trabalhar tantos conteúdos sem essa mediação que usamos no cotidiano, no dia-a-dia e no trabalho. Isso é importante para tirar o aluno de dentro da sala de aula, conectá-lo com o mundo, para o professor trazer informações significativas para a escola, para poder aprender em qualquer tempo e em qualquer lugar. Caminhamos nessa direção e não há como fugir. Não precisamos necessariamente estarmos fisicamente juntos todo dia para aprender. A escola pode ser repensada daqui pra frente com o apoio das tecnologias, como um conjunto de espaços e tempos significativos de aprendizagem, que podem começar numa sala de aula, podem continuar num laboratório, em uma biblioteca, em casa, no trabalho, na cidade e no mundo com o contato através de redes. 

A escola deve ser vista como algo muito mais vivo, dinâmico, flexível do que a atual. Nesse sentido a tecnologia é uma grande facilitadora de processos de interconexão de todas as realidades que são importantes para aprender.

 A COMPREENSÃO DO USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NA SALA DE AULA É UM 
PASSO IMPORTANTE MAS NECESSITA DE MOTIVAÇÃO

COMO MOTIVAR PROFESSORE PARA A UTILIZAÇÃO DAS NOVAS FERRAMENTAS PEDAGÓGICAS? COMO SENSIBILIZAR E ESTIMULAR PROFESSORES E DIRETORES PARA O USO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO?

Segundo o profº de tecnologias da USP, José Manuel Moran, um bom gestor e professor não precisam ser especialistas em tecnologias ou em outras áreas, mas precisam delas como mediação, como apoio para ajudar o aluno, para que ele se sinta motivado, para trabalhar com essas linguagens integradas. Para essa sensibilização é necessário:


  • mostrar que as tecnologias podem agregar valor para a vida, para o futuro profissional;
  • devem usar e passar por processos de formações continuadas;
  •  devem fazer a utilização da parte operacional das tecnologias para estimular a prática pedagógica do professor e do cotidiano da escola, para que os laboratórios, salas de informáticas, o uso de tablets, blogs e celulares não fiquem isolados do contexto da escola. Isso dará vida a escola e irá integrar a comunidade escolar como um todo.
  • É fundamental que os gestores incentivem os professores e também os alunos a tomarem essa iniciativa. 
Não adianta ensinar se o professor e o gestor não podem praticar, todos têm que ter acesso a essas tecnologias de forma pessoal. Não é possível usar o computador uma vez por semana e achar que com isso está tudo resolvido.

Após o domínio do equipamento, fazer uma ponte entre o lado técnico e o lado pedagógico. Dominar cada recurso, saber como usar e para que serve cada programa. e depois de tudo isso, saber como eu integro esse conhecimento no meu cotidiano escolar. Como ilustro melhor minhas aulas, como sensibilizo os alunos, como os torno produtores de conhecimento. 

Outro fator importantíssimo é a INOVAÇÃO. O que eu posso fazer diferente do que eu já venho fazendo? A MOTIVAÇÃO vai tornar a escola mais dinâmicas e com resultados muito favoráveis ao aprendizado.


O QUE O PROFESSOR GANHA COM ISSO?

  • Terá uma maior facilidade de trabalhar com os alunos;
  • não irá repetir sempre as mesmas aulas;
  • e com isso , torna o trabalho muito mais criativo.


Nessa postagem, gostaria de apresentar alguns inventos tecnológicos voltados para melhorar o aprendizado. Há muito tempo, psicólogos e psicopedagogos buscam estratégias que tornem as aulas mais atrativas. Atualmente sabemos que equipamentos que foram criados com outras finalidades podem e devem ser usados como "máquinas de ensinar". Me refiro a celulares, tablets, notebooks, desktops, entre outros.

Porém, as "máquinas de ensinar" modernas não buscam somente condicionar o estudante. Elas possuem um potencial tão grande no quesito aprendizagem que até mesmo os cientistas desconhecem.

Assim como nosso cérebro é ainda hoje um mistério para a ciência, o uso de novas tecnologias, em especial as móveis, são tal e qual misteriosas.

Enquanto no século XXI professores estão engatinhando no uso didático desses equipamentos, a neurociência já está dando os primeiros passos. 
Aqui vemos um exemplo bem humorado da metodologia tradicional nas escolas brasileiras.

video



Os neurocientistas descobriram que nosso cérebro necessita de desafios para aprender mais e melhor . Um exemplo, são apps desenvolvidos  para serem utilizados em celulares. Esses apps estimulam a autonomia do usuário estimulando o raciocínio lógico, prático e abstrato. 


APPS DISPONÍVEIS AQUI


Mas o que eu quero priorizar aqui são as METODOLOGIAS . Podemos lidar em nosso cotidiano escolar com tecnologia de ponta, mas se a METODOLOGIA do educador/professor não for de ponta também, de nada adianta. Será dinheiro jogado fora, pura enrolação. Será trocar seis por meia dúzia.

Então, vamos voltar um pouco no tempo e verificar o que foi feito em prol desse avanço metodológico.


As Máquinas de Ensinar de Skinner

Essas máquinas, criadas nos anos 60, nada mais eram que programas com vários exercícios que deveriam ser respondidos pelos alunos de forma individual, respeitando o tempo de casa um.Nesse caso, o professor passa a ser um monitor, tirando dúvidas e explicando somente o necessário em cada módulo.


video



Sabemos que o modelo educacional que temos hoje foi implantado no século XIX, por esse motivo identificamos alguns profissionais da educação se comportando de forma primitiva no que se refere ao uso de tecnologias móveis, por exemplo. O vídeo abaixo ilustra o que quero dizer.

video





NÃO TEMOS, HOJE, NO SÉCULO XXI, DESCULPAS PARA CONTINUAR ENSINANDO COMO A 60 ANOS ATRÁS. O MUNDO MUDOU , A TECNOLOGIA TÁ MUDANDO E A ESCOLA TEM QUE MUDAR.

AS ESCOLAS TÊM QUE PRODUZIR CONHECIMENTO E NÃO SOMENTE REPETIR O QUE JÁ VEM PRONTO NO LIVRO DIDÁTICO. O PROFESSOR DEVE SER VALORIZADO NÃO SÓ NA SUA REMUNERAÇÃO MAS TAMBÉM NA ESTRUTURA PARA MOTIVAR E FAZER COM QUE ELE DESENVOLVA UM TRABALHO EM REDE, UM MUNDO EM REDE E CONSEQUENTEMENTE, UM MUNDO MELHOR.

Nenhum comentário:

Postar um comentário